Pelo pra que te quero?

A importância da pelagem animal e como cuidá-la

Por Giselle Cunha
giselle.cunha@mulheresjornalistas.com

Com certeza você já ouviu essa frase: “Animal não é brinquedo”. E não é mesmo não!

Antes de nos tornarmos responsáveis por um animalzinho é muito importante pesquisar sobre sua rotina, temperamento, alimentação, custo médio com saúde e tudo mais que engloba a vida de um Ser Vivo.

Uma das situações mais comuns no dia a dia de um estabelecimento de banho e tosa e atender animais em situações deploráveis, como por exemplo: ouvido inflamado, alergias, unhas encravadas e, principalmente, pelo embolado.

Pode parecer um erro inocente, mas a falta da escovação e manutenção dos pelos de cães e gatos são um gatilho para uma série de doenças de pele.

A pele, no caso dos cães, é formada por três camadas: Hipoderme, Derme e Epiderme (Camada Externa).  Diferente dos humanos, que possuem de 10 a 15 camadas, os cães apresentam apenas de 3 a 5 camadas. Além disso, o PH (Manto protetor contra bactérias e fungos e que também combate infecções, alergias) dos Humanos é de 5.5, que nos deixa na categoria Ácido, onde há uma maior proteção. Já o PH dos cães, está em 7.5, o que se enquadra na categoria Neutro, ou seja, possui uma menor proteção.

Dessa forma, o pelo entra como um agente protetor mesmo, porque ele serve como um isolante térmico, tanto para o frio, quanto para o calor, os protege da luz UV, também ajuda a evitar pequenos ferimentos e picadas de insetos. E ainda ajuda na parte sensorial como: no focinho, na cabeça, nas juntas, acima dos olhos e em outros lugares do corpo. Esses pelos táteis, como os bigodes dos felinos, ajudam os animais a abrir caminho em passagens estreitas ou no escuro.

Quando o animal é atendido e se identifica o embolo, muitas vezes são utilizados produtos específicos cuja a função é auxiliar no desembaraço, porém em alguns casos, essa camada já está tão fechada que se torna impossível fazer tal desembaraço e a única alternativa torna-se raspá-lo. Ao raspá-lo, toda essa proteção diminui.

A melhor prevenção é acostumar desde filhote o seu melhor amigo com a escovação. Faça desse momento algo especial entre você e ele! Faça com calma, em um ambiente tranquilo e sempre que terminar associe a alguma coisa boa como: passeio, petisco, elogios. Assim ele vai estar sempre disposto a participar desse evento juntinho de ti. 

Importante também saber o tipo de pelagem do seu cão para utilizar a escova correta. Isso proporciona um melhor resultado e evita que os pelos fiquem quebradiços com o tempo.

Veja alguns exemplos de raças que separamos para ajudar:

  • Pelo longo: York, Shihtzu, Lhasa 
  • Pelo Curto: Pug, Buldog, Labrador
  • Pelo Fluffy ou Encaracolado: Poodle, Bichon Frisé
  • Pelo Primitivo ou Duro: Westie, Schnauzer, Chow Chow, Spitz

Batemos um papo muito importante com a Dra Luzinete Portela, que é médica veterinária, especialista em dermatologia. Confira:

Mulheres Jornalistas (MJ): Quais as principais doenças de pele atendidas no consultório?

Dra Luzinete Portela: Dermatites causadas por bactérias, alergias de contato; Dermatite alérgica a saliva de pulgas e ectoparasitas (DASPE); Dermatofitoses e Hipersensibilidade alimentar.

Mulheres Jornalistas (MJ): Qual a média de tratamentos que são levados até o final?

Dra Luzinete Portela: 90%. Porque quando o tutor se propõe a levar o seu Pet e pagar uma consulta dermatológica é quando o problema do animal está incomodando demais e ele realmente está disposto a tratá-lo.

O que as vezes acontece, é que o animal fica bom e não volta na revisão. As vezes faz recidiva e ele reaparece seis meses depois.

Mulheres Jornalistas (MJ): Qual a sua opinião sobre raspar o pelo bem curtinho no caso dos cães e gatos?

Dra Luzinete Portela: Alguns animais e alguns problemas de pele, se faz necessário a tosa baixa, mas eu nunca recomendo que o animal seja raspado na lâmina mais baixa, porque geralmente agrava o problema. Em 99% dos casos, a tosa com lâmina muito baixa causa alergia na pele do animal.

No caso dos gatos, eu só solicito a tosa em casos extremos ou nos casos de Dermatofitose.

Mulheres Jornalistas (MJ): Qual conselho você daria para evitar esses problemas de pele?

Dra Luzinete Portela: Banhos com produtos de boa qualidade, secagem adequada, escovação frequente, boa alimentação e prevenção de pulgas e carrapatos com medicamentos. 

E em caso de alguma alteração no pelo ou na pele do animal, procurar um médico veterinário dermatologista.

Confira também...

5 comentários

  1. Geraldo Villa Verde says:

    Mais uma aula pet 👏👏👏👏

  2. Gustavo M. Neves says:

    Escovação é fundamental até para animais de pelo mais curto. Eu tinha um rotweiller e , quando ele era escovado, eu sentia que era um dos momentos do dia que ele mais gostava. Vou divulgar esse texto para q gere consciência da importância de fazermos isso para nossos pets.

  3. Como sempre, matéria muito esclarecedora! Minha baby de quatro patas agradece!!

  4. Good morning people at mulheresjornalistas.com,
    Hope you’re well.
    I’m ,
    Hope you’re great, and that customers are profitable. Please allow me to introduce to you this service.
    The only service you’ll need to get your web site to the top level.
    https://slimex365.com/websitesubmitter440396
    Warm regards,

    P.S.We wish you thousands of clients this year.

  5. Viviane says:

    👏👏👏👏

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *