Cultura em tempos de quarentena

Apesar do grande consumo de atividades culturais durante o isolamento, o setor sofre com a falta de articulação do governo federal

Por Giulia Ghigonetto- São Paulo

Em tempos de pandemia e quarentena, a procura por atividades artísticas para preencher o tempo livre e estimular a produtividade tem crescido profundamente. “No que diz respeito à cultura, foi nela que fomos buscar acolhimento para atravessar a insegurança e a dureza da hora”, dizem Alex Muniz e Luciana Vieira, no artigo “Política audiovisual em tempos de COVID-19: arte e indústria em confinamento”, e complementam, “a vida em confinamento provocou mudanças em nosso comportamento, mas o desejo da vida cultural continuou.”

Com o auxílio de tecnologias, a relação através do tato e do convívio social foi substituída pela conexão virtual, o costume de ir conferir as estreias cinematográficas nos cinemas agora foram 100% trocado pelos serviços de video on demand (VOD) e canais de televisão.

Recentemente, o colunista da UOL, Ricardo Feltrin, divulgou dados exclusivos mostrando que o ibope de quem consome conteúdo por streaming superou o da TV paga. No mês de maio, a audiência geral de conteúdo em VOD visto em aparelhos de TV foi de 6,9 pontos e 14,6% de share na média nacional, das 7h à meia noite, conhecida como “faixa comercial” da TV aberta e por assinatura. Em comparação, a audiência dos canais pagos foi de 6,7 pontos e 14,1% de share.

A expectativa é que esses números se mantenham até a retomada de atividades culturais como espetáculos, cinemas, teatros e museus. Até lá, os 5,2 milhões de brasileiros que, segundo a Associação Nacional dos Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (ANESP), atuam no setor cultural sofrem com os prejuízos do isolamento social, uma vez que segundo alguns estudos, essa paralisação das atividades culturais causará um prejuízo de R$ 11,1 bilhões em apenas três meses, no Brasil. É estimado que só o estado de São Paulo seu prejuízo seja em cerca de 34 bilhões de reais.

A interrupção dessas atividades escancarou as fragilidades das políticas culturais no Brasil e a incapacidade do governo de se articular em relação à crise nesse setor.

A situação tem sido complicada, em especial para a indústria audiovisual, que corresponde a 1,67% do PIB brasileiro e acrescenta mais de 20 bilhões de reais anuais à economia, gerando mais de 300 mil empregos direta e indiretamente.

A pandemia paralisou produções, fechou salas de cinema e impossibilitou o lançamento das obras cinematográficas em todo o mundo. De acordo com Muniz e Vieira, “No Brasil, esse impacto ocorre em empresas já fragilizadas anteriormente pela crise institucional do setor”.

Para eles, as fases de um projeto audiovisual, sendo elas a pesquisa, desenvolvimento, pré-produção, produção e pós-produção, necessitam de interação humana e possuem orçamentos pouco flexíveis, impossibilitando que algumas atividades possam ser realizadas em home-office. E os profissionais envolvidos, eles a maioria autônomos, não estão protegidos pelos mecanismos de seguridade social aplicáveis ao emprego formal e pelas medidas emergenciais gerais anunciadas pelo governo para as empresas e para a população em risco social e econômico.

Ou seja, a indústria audiovisual esta profundamente impactada pela quarentena, comprometendo o emprego e a renda dos trabalhadores, gerando mais custos e perda de fontes de financiamento uma vez em que muitos projetos já estavam comprometidos pelos atrasos na liberação de fomento federal.

Por outro lado, como já tratado anteriormente, o streaming tem ganhando cada vez mais espaço, fazendo com que muitos países adotassem ações emergenciais para apoiar a cultura e os artistas e, particularmente, as empresas do setor audiovisual, como pode ser visto pelo site da ANESP.

Esse não é o caso do Brasil. Propostas adicionais desenvolvidas pela Ancine e aprovadas por sua diretoria continuam pendentes por conta do não funcionamento de instituições setoriais fundamentais, o que impossibilita um alívio imediato ao setor.

Como dizem Muniz e Vieira em seu artigo, “Aqui, por enquanto, permanecem não só as indefinições em relação às medidas emergenciais que podem ser adotadas agora para mitigar os danos imediatos da pandemia, mas, também, as incertezas sobre o futuro da política audiovisual.” Segundo eles, Capacidade estatal existe, só falta utilizar.

 

37 comentários sobre “Cultura em tempos de quarentena

  1. We stumbled over here different web page and thought I might as
    well check things out. I like what I see so i am just following you.

    Look forward to finding out about your web page
    for a second time.

  2. Howdy! Quick question that’s totally off topic. Do you know how to
    make your site mobile friendly? My blog looks weird when browsing from my iphone4.
    I’m trying to find a template or plugin that might
    be able to resolve this problem. If you have any suggestions, please share.
    Appreciate it!

  3. I know this if off topic but I’m looking into starting my own blog and was curious what all is
    needed to get setup? I’m assuming having a blog like
    yours would cost a pretty penny? I’m not very internet smart
    so I’m not 100% positive. Any recommendations
    or advice would be greatly appreciated. Appreciate
    it

  4. Good ? I should definitely pronounce, impressed with your website.
    I had no trouble navigating through all tabs as well as related information ended up being truly
    easy to do to access. I recently found what I hoped for before
    you know it in the least. Reasonably unusual. Is
    likely to appreciate it for those who add forums or something,
    site theme . a tones way for your customer to communicate.
    Excellent task.

  5. I’ve been exploring for a little bit for any high quality
    articles or weblog posts in this sort of area . Exploring in Yahoo I at
    last stumbled upon this web site. Reading this info So i am satisfied to convey that I have an incredibly excellent uncanny feeling I discovered just what I needed.

    I such a lot for sure will make certain to don’t forget this website and provides it a look on a constant basis.

  6. Hello! I could have sworn I’ve been to this website before but after
    going through some of the articles I realized
    it’s new to me. Anyways, I’m definitely delighted I found it and I’ll be book-marking it and checking back frequently!

  7. You actually make it appear really easy together with your presentation but I
    find this topic to be actually something that I feel I’d never understand.

    It kind of feels too complex and extremely vast for me.
    I’m looking ahead for your next publish, I’ll try to get the hang of it!

  8. Hello! I could have sworn I?ve visited this web site before but after looking at many of the posts I realized it?s new to me.
    Anyhow, I?m certainly happy I found it and I?ll be book-marking it and checking back regularly!

  9. Howdy would you mind sharing which blog platform you’re using?
    I’m planning to start my own blog soon but I’m having a difficult time deciding between BlogEngine/Wordpress/B2evolution and Drupal.

    The reason I ask is because your design seems different then most blogs and I’m looking for something completely unique.
    P.S My apologies for being off-topic but I had to ask!

  10. With havin so much content do you ever run into any problems of plagorism or copyright violation?
    My website has a lot of exclusive content I’ve either written myself or outsourced but it looks like a lot of it is popping it
    up all over the web without my agreement. Do you know any ways to help prevent content from being ripped off?
    I’d truly appreciate it.

  11. Attractive section of content. I just stumbled upon your website and in accession capital
    to assert that I get actually enjoyed account your
    blog posts. Any way I will be subscribing to your feeds and even I achievement
    you access consistently fast.

  12. I seriously love your site.. Pleasant colors & theme. Did you
    develop this website yourself? Please reply back as I’m hoping to create my own personal site and want to find out where you got this from or
    just what the theme is called. Thanks!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.