A CONTA NÃO FECHA: Produção de alimentos em excesso e medo de não ter comida em tempo de Covid-19

Por Mirian Romão-São Paulo
 
A crise causada pelo novo coronavírus afetou a nossa rotina e nosso jeito de viver. Uma das coisas que mudaram em nossas vidas, é a alimentação. Pessoas estão comendo mais do que o de costume, ou não estão comendo durante o isolamento social.
 
Segundo a reportagem da Folha de São Paulo, a professora de estudos de saúde e bem-estar na Universidade Binghamton, Jennifer Wegmann, afirma que uma das primeiras coisa que muda quando as pessoas estão estressadas é o autocuidado: exercício, sono e alimentação.
 
Consequentemente, produzimos mais lixo por estar em casa, por conta do isolamento social, acabamos consumindo mais.
 
Todos os anos, cerca de 1,3 bilhões de toneladas de alimentos são desperdiçados ou perdidos em todo o mundo, sendo jogadas no lixo. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), enquanto 821 milhões de pessoas passam fome no mundo, um terço dos alimentos que produzimos são desperdiçados diariamente.
 
O Brasil está na lista dos dez países que mais desperdiçam alimentos no mundo, segundo o World Resources Institute, gerando assim, um descarte de 30% de tudo que é produzido para o consumo.
Os alimentos mais desperdiçados pelos brasileiros, segundo a Alimentação em Foco são, arroz e carne bovina com um total de 20%, feijão 16%, frango 15%, Hortaliças 4% e Frutas 4%.
 
O relatório divulgado pela Empresa Brasileira de pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2018, revelou que em média cada família brasileira desperdiça cerca de 128 Kg de comida por ano.
 
Os resíduos orgânicos representam por volta de 50% dos resíduos urbanos gerados no Brasil, Quando descartados em lixões, geram contaminação do solo e da água.
 
Ainda hoje, a alimentação no Brasil está relacionada com o excesso. Culturalmente desperdiçamos muita comida, por nunca ter passado por restrições severas nas guerras, com falta de comida e por ser um país muito grande em extensão e recurso.
 
Alimentos com data de validade vencida, sobras de alimentos em hotéis e restaurantes, má utilização do alimento integral, falta de conscientização da população, confusão nos rótulos, condições inadequadas de armazenamento e produtos sem padrão comercial, são alimentos que normalmente são desperdiçados e jogados no lixo.
 
Contudo, a pandemia da COVID-19, nos ensinou mais sobre empatia, solidariedade, consciência e responsabilidade coletiva, é possível colaborar com a redução do desperdício de alimentos no Brasil seguindo algumas dicas básicas.
 
  • Podemos colaborar levando uma lista de compra antes de ir ao mercado para comprar apenas o que falta em casa;
  • Comprar somente o necessário para alguns dias em feiras;
  • Utilizar casca de frutas para fazer chás ou sucos;
  • Variar e adaptar tornando a alimentação mais saudável;
  • Produzir e comprar somente o necessário;
  • Compostagem;
  • E não esqueça de sempre higienizar todas as embalagens e alimentos com água e sabão ou álcool 70% para se proteger do coronavírus.

Confira também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *