Por Ana Carolina Gomes
Editora Mulheres Jornalistas – MG

Se o homem não cuida da natureza, a natureza se revolta com ele e paga com a mesma moeda: a destruição!

Em 2019, até o último boletim epidemiológico divulgado no dia 22 de abril, Minas Gerais já registrou 140.754 casos prováveis de dengue. Esse número inclui os casos já confirmados e os que ainda estão sob suspeita. Além disso, já foram registrados 14 mortes pela doença sendo uma no município de Arcos, seis em Betim, uma em Frutal, uma em Ibirité, uma em Paracatu, duas em Uberlândia e duas em Unaí, sendo que 57 óbitos estão em investigação sob suspeita de terem sido causadas pela dengue.

Em relação à Febre Chikungunya, Minas Gerais registrou 1.301 casos prováveis da doença em 2019. Até o momento, não houve registro de óbitos suspeitos da doença. Já em relação à Zika, foram registrados 497 casos prováveis da doença em 2019, até a data de atualização do boletim.

O aumento dos casos de dengue coloca Minas Gerais em alerta, segundo o Ministério da Saúde. O sorotipo 2, que voltou a predominar no Brasil após 10 anos, já se destaca no estado e as alterações ambientais causadas pelo rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, na Grande BH, exigem que a população das regiões afetadas redobre a atenção no combate aos criadouros do mosquito.
O coordenador do Departamento de Dengue do Ministério da Saúde, Rodrigo Sai, informou recentemente que o Ministério da Saúde criou uma equipe técnica que está em contato com as salas de situação do governo de Minas e de Brumadinho. “Realmente existe um alerta. É possível que haja um aumento da produção de doenças transmitidas pelos vetores pela mudança ambiental e, principalmente, devido à oferta de água”, explicou.

O chamado Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes) Brumadinho vem monitorando dados relacionadas às doenças transmitidas por vetores na região. “Alertamos para o risco, aumentado pelo armazenamento de água em casa, que exige uma vigilância para que isso seja feito de forma segura”, diz o coordenador. Ele destaca que os recipientes devem ser bem tampados.

Minas Gerais está completamente abandonada pelos seus governantes e à mercê da vingança da natureza, que por tantos anos foi destruída pelo ego, pelo capitalismo e pela ganância de enriquecer a qualquer custo. Vale a pena olhar para o lado e cuidar, antes que nos tornemos a próxima vítima.

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.