Hábitos que podemos continuar tendo após o coronavírus
Por Mirian Romão- São Paulo
 
A pandemia causada pelo coronavírus (COVID-19) mudou nossas vidas. Tivemos que mudar nossa rotinae adotar hábitos para nos proteger e não espalhar a doença.
 
Passamos a trabalhar de casa, a evitar aglomeração e a ficar em isolamento social, medidas adotadas pelo Ministério da Saúde para proteger a população.
 
Contudo, o mundo após a pandemia será diferente. Segundo Átila, doutor em microbiologia pela Universidade de São Paulo e pós-doutor pela Universidade de Yale, em reportagem para a BBC,  “as mudanças que o mundo levaria décadas para passar, que a gente levaria muito tempo para implementar voluntariamente, a gente está tendo que implementar no susto, em questão de meses”.
 
De fato adotamos medidas que levaria tempo de adaptação como empresas que não sabiam que era possível trabalhar home office, estão trabalhando. Países estão aceitando que é necessário dar suporte financeiro para seus cidadãos. Escolas descobrindo o quanto os alunos aprendem por conta própria.
 
De acordo com Átila, “a gente está descobrindo o que são os serviços essenciais, e estamos voltando a entender o valor da ciência, da mídia e dos serviços de saúde”. Contudo , algumas atitudes podemos continuar praticando após a crise a coronavírus, como por exemplo, o uso do álcool gel ao sair no transporte público.
 
No Brasil estamos adotando o uso da máscara, uma mudança cultural. A expectativa é que mais pessoas adotem o hábito mesmo após a pandemia do coronavírus.
 
Até recentemente, a máscara era associada apenas aos países asiático, como a China e o Japão, onde o hábito é comum, sendo considerado boa educação.
“Cobrir o rosto é uma maneira de mostrar às outras pessoas que você está fazendo um esforço”, segundo o sociólogo japonês Mitsutoshi Horri, autor do livro “Masuku to Nihonjin” (as máscaras e os japoneses), conforme reportou a Folha de São Paulo.
 
A gravidade do coronavírus pode ajudar os brasileiros a adotarem esses hábitos após a pandemia, por mais que não tenha sintomas o uso da máscara evita que o vírus se espalhe.
 
Além da máscara, outras medidas devem ser tomada para se proteger e também contribuir para a contenção da pandemia, como lavar bem as mãos, ao tossir e espirrar cobrir o rosto, manter os ambientes sempre ventilados, entre outros.
 
Já são mais de 30 mil casos no Brasil do novo coronavírus e mais de 2 mil mortes.
 
É possível acompanhar os dados em tempo real através do site Safety Detectives (sugestão enviada pela nossa leitora), as informações do site são baseadas nos números de casos confirmados pela Organização Mundial da Saúde.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.