Golpes virtuais na pandemia

Por Bianca Neves, Advogada- RS

Editora Chefe: Letícia Fagundes, Jornalista

Vivemos em situação pandêmica desde março de 2020, desde então, houve um crescimento considerável de crimes virtuais e, com as medidas impostas pelo isolamento social, as pessoas passaram a utilizar de maneira intensa os serviços de internet, o que facilitou a atuação de criminosos cibernéticos.

Caso você não tenha sido vítima de algum golpe virtual, provavelmente deve conhecer alguém que possa ter sido alvo deste crime.

Golpe dos nudes, clonagem de whatsapp, dados pessoais e bancários roubados, perfis falsos de empresas em redes sociais, envio de mensagens por celular para atualização de dados com link suspeito, falsas empresas de cobrança exigindo pagamento por dívidas inexistentes. Estes são apenas alguns golpes que as pessoas acabam sendo vítimas, e, como consequência sofrem chantagem e extorsão financeira.

Especificamente no Rio Grande do Sul, o chamado “Golpe dos Nudes”, tem causado preocupação das autoridades policiais. Basicamente, o golpe consiste na realização de extorsão mediante ameaça. São criados perfis falsos em redes sociais, com a utilização de fotos sensuais, geralmente personificando a imagem de uma mulher atraente, chamando assim, a atenção das futuras vítimas.

O perfil falso, no primeiro momento, envia mensagem à vítima através da rede social, inicia-se assim troca de mensagens, quando a vítima cede às investidas e o criminoso ganha a sua confiança, solicita o contato telefônico para que as conversas sejam trocadas através do whatsapp e assim, encaminha à vítima supostas fotos íntimas.

A partir deste momento, outro criminoso entra em contato com a vítima informando que este estaria trocando mensagens com uma menor, por conta disso, apresenta-se como pai ou mãe da suposta “menor”, inicia-se assim, as inúmeras ameaças e extorsão financeira.

Geralmente os cibercrimes, como são chamados os crimes virtuais, tem como vítimas pessoas menos habituadas a tecnologia, estando assim, mais vulneráreis a golpes. Entretanto, este não é um fator absoluto, mesmo pessoas familiarizadas às tecnologias, correm risco de serem vítimas desses crimes.

Há uma falsa sensação de impunidade criada pelos criminosos que utilizam a internet para perpetuar os seus golpes. Ocorre, porém, que isso não é verdade!

O Código Penal Brasileiro estabelece punição a crimes realizados no ambiente virtual. Por tanto, não há impunidade!

Caso não tenha sido vítima desse tipo de crime, a recomendação é que a qualquer sinal de desconfiança, busque o maior número de informações da suposta empresa, perfil de rede social, antes de seus fornecer dados bancário e/ou pessoais. Em caso de empresa, consulte sites de pesquisa como o Reclame Aqui, acesse o site da Receita Federal para consulta do suposto CNPJ, entre em contato com o Procon do seu Estado.

Caso você venha a ser vítima de algum crime virtual a dica é: procure uma delegacia especializada, na sua ausência, qualquer delegacia próxima para registrar um Boletim de Ocorrência. Guarde cópia de eventuais conversas e ameaças, telefones que lhe contataram, link enviado, assim como, comprovantes de pagamento que eventualmente tenha realizado.

 

Fique atento!!

1 comentário em “Golpes virtuais na pandemia

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com