Luana Miranda
Repórter Mulheres Jornalistas – SP
 
“Como você quer ser uma boa mãe se trabalha tanto? Tem que cuidar melhor do seu filho, não pode deixar a criança descalça!”. São esses e muitos outros tipos de comentários que acabam gerando angústia e preocupação na mulher que se torna mãe.
 
Esses sentimentos acumulados dão origem, muitas vezes, a depressão pós-parto, ou melhor, depressão por não conseguir se enquadrar nos requisitos de mãe perfeita. As vezes essa culpa chega mais cedo, ainda na gestação, culpa por não ter uma boa alimentação, não ter o corpo perfeito, o parceiro ideal e uma conta bancária que condiz com os novos gastos.
 
Como ser uma mãe perfeita se você precisa cuidar do filho, trabalhar, cuidar do corpo e ainda ter uma vida social? Erros na hora de se educar ou na escolha da alimentação vão surgir, mas o segredo está em seguir sempre lutando para que o seu melhor seja feito.
 
Fazer de tudo pelo filho e dar o melhor de si para o seu bem estar é diferente do que algumas mães se propõem a fazer para ser a mãe perfeita. Quando buscamos alcançar algo que é humanamente impossível, isso acarreta em um sentimento enorme de culpa por não ter atingido os padrões de mãe idealizados pela sociedade.
Por mais maravilhosa que seja a maternidade, problemas vão surgir e antes mesmo das pessoas ao redor culpar a mãe, muitas vezes, ela mesma já se culpou. São as mães que carregam o fardo das preocupações e das frustações por não conseguir dar conta de tudo como planejado.
 
São nesses momentos em que uma boa terapia ajudaria as mães a se livrar dessa culpa que ela acaba criando por se cobrar demais. O desafio para as mães deveria ser dar o melhor de si de acordo com as suas limitações. É muito importante não deixar com que a sua verdade morra diante à tantas padronizações, para que a culpa por alguns tropeços não seja um problema na hora de assumir uma outra vida.
 
Ser mãe é buscar fazer o melhor para o seu filho e ao mesmo tempo respeitar as suas limitações. Errar é humano e é com o erro que nos aperfeiçoamos para tornarmos mães cada vez melhores, na medida do possível. Foi pensando no peso que uma mulher carrega ao ser mãe que a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul lançou, por meio da Comissão da Mulher Advogada, a campanha “Atenção Mamãe aos seus Direitos”.
 
O objetivo principal dessa campanha é esclarecer todos os direitos que as mães brasileiras possuem e que muitas não sabem. Além disso, busca-se conscientizar a sociedade para fazer com que cada vez mais esse tema seja colocado em pauta.
 
A campanha coloca em evidência os direitos das mães, como o direito a amamentação no trabalho e os cuidados necessários para aquelas que trabalham em ambientes insalubres. Para obter mais informações sobre a campanha acesse o site da OAB/MS em http://oabms.org.br/
 
Iniciativas como essa buscam informar as mães sobre seus direitos, pois o não conhecimento da legislação ainda é um problema bastante recorrente no Brasil. Dessa forma, campanhas como essa seriam uma alternativa para auxiliar na falta de informação, o que acabaria ajudando as mães que enfrentam uma depressão, por não estar conseguindo dar conta. Saber que existem direitos para ajudar as mães é uma forma de conforto e pode ser uma luz no fim do túnel.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.