A ignorância como projeto político

Previsão de corte no orçamento do MEC para 2021 e proposta para taxar venda de livros estão alinhadas com a política de terra arrasada na cultura e educação

Comentarista Melissa Rocha- RJ
melissa.rocha@mulheresjornalistas.com

Celebrou-se nesta semana, no último dia 11, o Dia do Estudante, uma data criada para lembrar o direito de todos os cidadãos brasileiros ao acesso à educação e conhecimento.    

Mas o fato é que não há muito o que celebrar. Isso porque a data veio acompanhada de duas propostas do Ministério da Economia, de Paulo Guedes, que são exatamente o oposto de tudo que ela representa. 

O projeto de Lei Orçamentária Anual traçado para 2021, por Guedes, prevê um corte de R$ 4,2 bilhões no orçamento destinado ao Ministério da Educação (MEC). A estimativa é que a medida reduza em R$ 1 bilhão os repasses a universidades e institutos federais. 

O corte projetado é referente às chamadas despesas discricionárias, que não são obrigatórias e compreendem gastos com luz, água, manutenção da infraestrutura e serviços terceirizados de limpeza e segurança. A redução de tais despesas teria impacto nas atividades acadêmicas. Afetaria, por exemplo, pesquisas científicas que necessitam de laboratórios com água e luz garantidas. Também comprometeria a segurança dos alunos – especialmente em disciplinas cursadas à noite -, uma vez que geraria redução nas equipes de segurança em campus universitários. A medida também pode resultar no fechamento de cursos no próximo ano, na suspensão de bolsas de pesquisa e comprometer o Enem e o ProUni.  

O corte no orçamento do MEC é mais um capítulo da novela que se tornou a degradação da Pasta, e vem na esteira de outro controverso projeto liderado por Guedes: a reforma tributária, que, dentre outras coisas, prevê a estapafúrdia proposta de retirar a isenção de tributos para o mercado editorial. Com a medida, os livros passariam a ser tributados em 12%, o que, em efeito dominó, aumentaria o custo para o consumidor final, reduziria as vendas de livros e desestimularia autores a publicarem novas obras. Isso para não falar que a tributação pode representar mais um prego no caixão do mercado editorial brasileiro, que vive um dos piores momentos de sua história. 

Talvez mais estapafúrdia que a proposta tenha sido a explicação dada por Guedes em defesa da tributação dos livros. O ministro afirmou que os pobres “estão mais preocupados em sobreviver do que em frequentar livrarias” e sugeriu que aqueles que podem pagar doem livros “para o mais frágil, o mais pobre”. 

Difícil mesurar a carga preconceituosa presente nas declarações de Guedes, o “Chicago boy” do governo. Elas expressam a típica mentalidade elitista que questiona o apreço das camadas mais pobres pela leitura e as coloca como dependentes da alma caridosa daqueles com maior poder aquisitivo. 

O que o ministro ignora é que o incentivo à leitura é justamente um dos instrumentos que fomentam a mobilidade social. É também uma das ferramentas que permitem a expansão criativa. Ler estimula a imaginação. Cada leitor tem um jeito particular de imaginar cenários e personagens descritos por um autor. Além disso, a leitura exercita os neurônios, o que previne doenças cognitivas, ou postergam seus sintomas. Mas, para Guedes, aparentemente, esses são privilégios para quem pode pagar. 

O corte no MEC e a tributação dos livros está em alinhamento com a política de terra arrasada na cultura e na educação promovida pela gestão Bolsonaro, que aposta em uma sociedade ignorante, armada e explorada por líderes religiosos que fazem da fé um negócio lucrativo. Prova disso é o fato de que, a mesma proposta de reforma tributária que prevê a tributação de livros, pode incluir medidas que ampliam as isenções tributárias concedidas a entidades religiosas. Além disso, em junho, o presidente da República exaltou como “uma boa notícia” os avanços em seu compromisso de retirar os impostos sobre a importação de armas de fogo. 

6 comentários sobre “A ignorância como projeto político

  1. Have you ever thought about creating an e-book or guest authoring on other blogs?
    I have a blog based on the same information you discuss and would really like to have
    you share some stories/information. I know my viewers would enjoy
    your work. If you are even remotely interested, feel free to shoot me an email.
    asmr 0mniartist

  2. I’ve been exploring for a little bit for any high-quality
    articles or weblog posts on this sort of space .
    Exploring in Yahoo I finally stumbled upon this website.
    Studying this information So i am glad to exhibit that I’ve an incredibly
    good uncanny feeling I discovered exactly what I needed.

    I such a lot without a doubt will make sure to don?t omit this site and give it a look regularly.

    asmr 0mniartist

  3. This is very interesting, You are a very skilled blogger.
    I’ve joined your rss feed and sit up for in search of more of your magnificent post.

    Additionally, I have shared your website in my social networks asmr 0mniartist

  4. I am curious to find out what blog system
    you are working with? I’m having some minor security problems with
    my latest blog and I’d like to find something
    more secure. Do you have any recommendations? asmr 0mniartist

  5. I was suggested this blog via my cousin. I am not positive
    whether this put up is written through him as nobody else recognise such specified about my problem.
    You’re amazing! Thank you! 0mniartist asmr

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.