Por Luiza Esteves, Repórter  Rio de Janeiro
A oitava edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino, organizada pela FIFA, tem início nesta sexta (7), na França, com transmissão ao vivo pela primeira vez na TV aberta. Ao todo serão 24 seleções, divididas em seis grupos de quatro equipes, em busca do título mundial.
 
A novidade desta edição será a introdução do árbitro de vídeo nos jogos. O Brasil está no grupo C do campeonato, ao lado de Austrália, Itália e Jamaica. A seleção brasileira estreia no dia 9 de junho contra as jamaicanas, às 10h30 no estádio Stade des Alpes, em Grenoble. O jogo de abertura e a final do dia 7 de julho acontecerão no Parc Olympique Lyonnais, em Lyon, com capacidade para 58 mil espectadores. No total, onze cidades da França sediarão partidas do torneio.
 
Nesta edição todos os jogos serão transmitidos pela Rede Bandeirantes, SporTV e Band Sports, enquanto apenas as partidas da seleção brasileira vão passar na Rede Globo. A Copa do Mundo de Futebol Feminino acontece desde 1991. Por incrível que pareça, só em 2015, na última edição do torneio, foi a primeira vez em que a televisão brasileira cedeu espaço para transmitir as partidas por meio das emissoras SporTV e TV Brasil.
 
As americanas são as que possuem mais títulos, com três medalhas de ouro e outras três de bronze. Já a seleção alemã possui o maior número de goleadas da história. Em 2007, elas venceram a Argentina por 11 a 0 e, em 2015, as alemãs marcaram 10 a 0 contra a Costa do Marfim.
 
Apesar de nunca ter ganhado o título de campeã, a seleção brasileira esteve presente em todas as edições em que conquistou o vice campeonato em 2007 e foi para as quartas de final em 2011. A equipe também conta com a artilheira Marta Silva que é a aposta para o time. Em 2015, Marta se tornou a maior artilheira da história do futebol, completando 117 gols, o que superou o recorde anterior de 95 gols feito por Pelé.
 
Hoje, Marta já foi eleita seis vezes como a melhor jogadora do mundo, recorde nunca batido por Cristiano Ronaldo, Lionel Messi ou Neymar. A alagoana de 33 anos estava se recuperando de uma lesão leve que sofreu no músculo bíceps femoral, mas ela já está confirmada para competir pela seleção brasileira.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.