Ações solidárias crescem durante a pandemia

Por Mirian Romão- São Paulo

Enquanto o país estava em isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus, algumas ONGs e instituições que ajudam pessoas ficaram fechadas, sem a distribuição de alimentos ou de algum auxílio.

Contudo, as pessoas passaram a ajudar essas ONGs que tiveram que permanecer fechadas nesse período de isolamento social.

Muitos voluntários têm se mobilizado para ajudar cada vez mais pessoas em estado de vulnerabilidade social nesta pandemia.

A distribuição de alimentos, doações de produtos de higiene pessoal e consultas gratuitas são algumas ações solidárias que se espalharam pelo país, segundo a Uol, são cidades e instituições que se uniram para enfrentar o novo coronavírus, uma das maiores crises de saúde pública do mundo.

Vizinhos se ajudavam realizando compras de alimentos para pessoas que eram consideradas grupos de risco.

Por mais que a doença ainda não esteja controla, o isolamento social está sendo apenas para aquelas que conseguem ainda ficar em casa, pois muito comércios já voltaram a funcionar com limite de pessoas dentro da loja e alguns itens indispensáveis, como máscara e álcool gel.

Por mais que a quarentena tenha “acabado”, pois o coronavírus ainda é um grande risco para toda a população, o início da pandemia foi marcado ressaltando os heróis da saúde, e espero que ainda possam ser tão valorizados quanto no começo da Pandemia.

Os heróis da saúde trabalham na linha de frente e muitas vezes sem equipamentos adequados para se proteger do vírus. Entretanto, a solidariedade moveu empresas e cidadãos para levar para área da saúde proteção, comida e amparo psicológico.

A solidariedade chegou também para os entregadores de comida, crescendo o valor da gorjeta e para os coletores de lixo, que receberam mensagens de carinho e cuidado durante a coleta.

Foram várias iniciativas importantes, que fizeram a diferença e sem a participação de governos. Bares e restaurantes participaram de campanhas de cupons de desconto e entregaram marmitex para aqueles que vivem em situação de vulnerabilidade.

Cidadãos se mobilizaram para confeccionar máscaras e protetores faciais para protegerem os profissionais de hospitais.

A cooperação e a solidariedade são fundamentais para essa e futuras pandemias. Já que é possível a descoberta de doenças que ainda não tem vacina ou cura.

Uma das soluções segundo a Folha de São Paulo, seria a união do setor político, da medicina, da ciência e da saúde para combater novas epidemias.

A cooperação mundial é fundamental para melhor desenvolvimento contra os vírus. No Brasil, a falta de integração desses setores causa graves problemas para o país, mas sem desanimar as ações solidárias continuaram.

Dar apoio, suporte e demonstrar respeito foram coisas que vi e vivi na pandemia do novo coronavírus. A solidariedade com as famílias que perderam alguém querido pelo vírus e com as pessoas que vivem em vulnerabilidade, tornaram o país um pouco mais caloroso em meio ao caos.

Enquanto a cura não chega, espero que projetos de solidariedade e cooperação cresçam cada vez mais no país e mesmo com a volta dos comércios quem puder fique em casa. O vírus não está sob controle em nosso país, vamos proteger cada vida. #FiqueEmCasa.

Que tal ler essas matérias também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *